Pagina Inicial

 


Este espaço ficará temporariamente sem atualização, em cumprimento às normas da legislação para o período eleitoral.


Leia mais...

Aplicativo Animais Peçonhentos

 

Leia mais...

Plantão de emergência

Envio de imagens.

Você sabia que quase a metade das exposiçoes

relacionadas a inseticidas domésticos

atendidos pelo CIT/RS no ano passado

foram em crianças menores de 05 anos?


Para evitar estes acidentes conheça

os riscos de utilizar esses produtos e,

principalmente, as medidas de prevenção.



Riscos Medidas de Prevenção
  • Não reconhecer a finalidade do uso de inseticidas.
  • Confundir a embalagem.
  • Descuidar durante o uso de inseticidas.
  • Usar inseticidas em ambientes fechados.
  • Guardar os inseticidas junto aos alimentos e outros produtos.
  • Armazenar ao alcance das crianças.
  • Mantenha, sempre, o inseticida em sua embalagem origina.
  • Mantenha o inseticida longe dos alimentos, medicamentos e fora do alcance de crianças.
  • Não permita que as crianças apliquem inseticida ou brinquem com as embalagens.
  • Produtos de uso agrícola (agrotóxicos) nunca devem ser utilizados em casa, pois podem provocar intoxicações graves.
  • Aplique os inseticidas em ambientes abertos e longe de crianças e/ou de animais domésticos.
  • Nunca compre produtos clandestinos.


Em caso de acidente, ligue

0800 721 3000

para maiores informações acesse

www.cit.rs.gov.br

 

Cuidados no Verão!

Mães-d'água, águas-vivas, caravelas, anêmonas e corais, são animais aquáticos (Cnidários) que possuem células urticantes e por isto queimam.

O que fazer?

  • Lavar o local com água do mar.
  • Fazer compressas com vinagre (ou aplicar uma pasta de vinagre e farinha de trigo).
  • Remover filamentos com cuidado (não pressionar o local).

O que causam?

  • Dor intensa, ardência, pápulas (lesão elevada), bolhas.

O que NÃO fazer?

  • Não lavar com água doce (torneira).
  • Não usar álcool ou qualquer outra substância.


Sempre que possível procure atendimento médico.


Em caso de acidente, ligue

0800 721 3000

para mais informações acesse

www.cit.rs.gov.br

 
«InícioAnterior12345678910PróximoFim»

Página 8 de 43

Xixi de sapo causa cegueira?

Xixi de sapo causa cegueira?

Quando os sapos sentem-se ameaçados, eles liberam, através das glândulas localizadas atrás dos olhos, uma secreção venenosa que deixa a pele toda lubrificada. A intoxicação ocorre ao entrarmos em contato com esta secreção. A urina deste animal não é venenosa.

“Cobra” mama?

“Cobra” mama?

Em alguns locais, principalmente no interior, é muito forte a cultura de que as serpentes mamam. Dizem que a serpente é atraída para as residências onde haja crianças que mamam, e, à noite quando mãe e bebê estão dormindo, a serpente coloca a cauda na boca da criança e mama no seio da mãe.O que há de verdade nisto? Nada! As serpentes são répteis, não são mamíferos, logo, não precisam (nem gostam) de leite. Além disto, não apresentam esta “perspicácia” de tentar enganar a mãe e a criança.  

Se eu encontrei um filhote de serpente, é possível que apareça os irmãos e a mãe?

Se eu encontrei um filhote de serpente, é possível que apareça os irmãos e a mãe?

Como as serpentes são répteis, a mãe não possui os cuidados com a prole como é comum em todos os mamíferos e também nas aves. Os répteis, desde pequenos, são independentes, não apresentam nenhum tipo de vínculo com irmãos ou com a mãe e vice-versa.  

Coral pica pela cauda? Tem um ferrão na ponta da cauda?

Coral pica pela cauda? Tem um ferrão na ponta da cauda?

A cobra-coral utiliza como estratégia de defesa, ao sentir-se ameaçada, levantar, enrolar e dobrar a ponta da cauda (distraindo o predador), escondendo a cabeça. Como não há uma diferença significativa no diâmetro da cabeça e da cauda, muitas pessoas pensam que aquela parte do animal que está “levantada” é a cabeça e, que a outra que está escondida é a cauda, logo, se a serpente acaba mordendo uma pessoa pensam que a mordida ocorreu pela cauda, mas, na verdade a mordida ocorreu através da boca e na cabeça.

Quando uma serpente é morta a sua companheira procura vingança perseguindo a pessoa até encontrá-la?

Quando uma serpente é morta a sua companheira procura vingança perseguindo a pessoa até encontrá-la?

É difícil encontrarmos duas serpentes juntas, isto ocorre apenas no período de acasalamento. Os répteis não apresentam sentimento de companheirismo, comum em alguns grupos de animais (principalmente aves e mamíferos) e nem de vingança, que são próprios do ser humano. Por isso, se encontrarmos uma serpente logo após ter visto outra, provavelmente, elas estavam acasalando.

 É verdade que dependendo do tipo de serpente que pica uma pessoa, não há o que fazer... a pessoa já cai, morta, ao lado da serpente?

É verdade que dependendo do tipo de serpente que pica uma pessoa, não há o que fazer... a pessoa já cai, morta, ao lado da serpente?

Não. Aqui no Brasil, não há serpentes tão perigosas assim... Para os acidentes com as jararacas e cruzeiras, que são as peçonhentas mais comuns, até 6 horas após o acidente é considerado intervalo de tempo excelente para aplicação do soro.

Se colocarmos o escorpião dentro de um círculo de fogo ele acaba se suicidando, inoculando o aguilhão nele mesmo?

Se colocarmos o escorpião dentro de um círculo de fogo ele acaba se suicidando, inoculando o aguilhão nele mesmo?

O escorpião, em posição de ataque, não consegue encostar o aguilhão no seu corpo e, mesmo que conseguisse, ele seria imune ao seu veneno.  Neste caso, o escorpião acaba morrendo dessecado, desidratado pela ação do calor.

Feridas no canto da boca são resultados do xixi de aranha?

Feridas no canto da boca são resultados do xixi de aranha?

É comum aparecer “bolinhas” no canto da boca, geralmente, pela manhã e, as pessoas acharem que isto é resultado de xixi de aranha. Na verdade, estas “bolinhas” são herpes labial, uma virose bastante comum, que ocorre em pessoas debilitadas por stress ou baixa imunidade.

1 2 3 4 5 6 7 8

Centro de Informação Toxicológica

Rio Grande do Sul

Brasil - RS - Porto Alegre - CEP 90610-000

Av. Ipiranga, 5400 - Jardim Botânico

Telefone: (51) 2139-9200 - Fax: (51) 2139-9201

O CIT/RS é afiliado a Associação Brasileira de Centros de Informação e Assistência Toxicológica e Toxicologistas Clínicos - ABRACIT

Organização do Site:

Débora Daenecke e Alberto Nicolella