Pagina Inicial

Aplicativo Animais Peçonhentos

 

Leia mais...

Plantão de emergência

Envio de imagens.

Casa Segura

Crianças até 5 anos são as maiores vítimas de intoxicação acidental. A grande maioria desses casos acontece dentro do lar. Não transforme sua casa em uma armadilha para as crianças.

Leia mais...

WEB CONFERENCIA SOBRE ANIMAIS PEÇONHENTOS


A Associação Brasileira de Centros de Informação e Assistência Toxicológica (ABRACIT) realiza nesta quarta-feira dia 30 de novembro de 2016 uma WEB Conferência aberta a todos os interessados com o tema Abordagem da Insuficiência Renal Aguda nos Acidentes por Animais Peçonhentos. O Palestrante será o Dr. Emmanuel Burdmann, Professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).


O horário será das 10h30 às 12h e a conexão gratuíta (possível de qualquer computador, laptop ou tablet) é no endereço http://webconf2.rnp.br/rutesigtoxicologia.

 

Solicita-se que para testes do equipamento utilizado e ajustes que a conexão seja feita as 10 horas.

 

acidentes tóxicos por animais peçonhentos

 

 

Com o objetivo de qualificar os profissionais de saúde da Atenção Primária à Saúde/Atenção Básica (APS/AB) e os estudantes de graduação no reconhecimento de animais peçonhentos que representam risco de acidente para a comunidade, o TelessaúdeRS-UFRGS desenvolveu, em parceria com o Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul (CIT-RS), Curso EaD de Acidentes Tóxicos por Animais Peçonhentos.


A 1ª edição do curso ocorrerá entre os meses de novembro e dezembro, inscrições poderão ser realizadas até dia 30 de novembro de 2016 ou até esgotarem as vagas.


O curso terá a carga horária de 25 horas e será realizado via plataforma Moodle do TelessaúdeRS-UFRGS. Ao final do curso o aluno terá condições identi­ficar os animais de interesse toxicológico, locais e situações de risco, realizar coletas com segurança, reconhecer os acidentes causados e tomar as primeiras providências frente a casos de picada ou contato com estes animais.


Informações e Inscrições


https://www.ufrgs.br/telessauders/cursos/curso-ead-de-acidentes-toxicos-por-animais-peconhentos/

 
«InícioAnterior12345678910PróximoFim»

Página 1 de 42

Xixi de sapo causa cegueira?

Xixi de sapo causa cegueira?

Quando os sapos sentem-se ameaçados, eles liberam, através das glândulas localizadas atrás dos olhos, uma secreção venenosa que deixa a pele toda lubrificada. A intoxicação ocorre ao entrarmos em contato com esta secreção. A urina deste animal não é venenosa.

“Cobra” mama?

“Cobra” mama?

Em alguns locais, principalmente no interior, é muito forte a cultura de que as serpentes mamam. Dizem que a serpente é atraída para as residências onde haja crianças que mamam, e, à noite quando mãe e bebê estão dormindo, a serpente coloca a cauda na boca da criança e mama no seio da mãe.O que há de verdade nisto? Nada! As serpentes são répteis, não são mamíferos, logo, não precisam (nem gostam) de leite. Além disto, não apresentam esta “perspicácia” de tentar enganar a mãe e a criança.  

Se eu encontrei um filhote de serpente, é possível que apareça os irmãos e a mãe?

Se eu encontrei um filhote de serpente, é possível que apareça os irmãos e a mãe?

Como as serpentes são répteis, a mãe não possui os cuidados com a prole como é comum em todos os mamíferos e também nas aves. Os répteis, desde pequenos, são independentes, não apresentam nenhum tipo de vínculo com irmãos ou com a mãe e vice-versa.  

Coral pica pela cauda? Tem um ferrão na ponta da cauda?

Coral pica pela cauda? Tem um ferrão na ponta da cauda?

A cobra-coral utiliza como estratégia de defesa, ao sentir-se ameaçada, levantar, enrolar e dobrar a ponta da cauda (distraindo o predador), escondendo a cabeça. Como não há uma diferença significativa no diâmetro da cabeça e da cauda, muitas pessoas pensam que aquela parte do animal que está “levantada” é a cabeça e, que a outra que está escondida é a cauda, logo, se a serpente acaba mordendo uma pessoa pensam que a mordida ocorreu pela cauda, mas, na verdade a mordida ocorreu através da boca e na cabeça.

Quando uma serpente é morta a sua companheira procura vingança perseguindo a pessoa até encontrá-la?

Quando uma serpente é morta a sua companheira procura vingança perseguindo a pessoa até encontrá-la?

É difícil encontrarmos duas serpentes juntas, isto ocorre apenas no período de acasalamento. Os répteis não apresentam sentimento de companheirismo, comum em alguns grupos de animais (principalmente aves e mamíferos) e nem de vingança, que são próprios do ser humano. Por isso, se encontrarmos uma serpente logo após ter visto outra, provavelmente, elas estavam acasalando.

 É verdade que dependendo do tipo de serpente que pica uma pessoa, não há o que fazer... a pessoa já cai, morta, ao lado da serpente?

É verdade que dependendo do tipo de serpente que pica uma pessoa, não há o que fazer... a pessoa já cai, morta, ao lado da serpente?

Não. Aqui no Brasil, não há serpentes tão perigosas assim... Para os acidentes com as jararacas e cruzeiras, que são as peçonhentas mais comuns, até 6 horas após o acidente é considerado intervalo de tempo excelente para aplicação do soro.

Se colocarmos o escorpião dentro de um círculo de fogo ele acaba se suicidando, inoculando o aguilhão nele mesmo?

Se colocarmos o escorpião dentro de um círculo de fogo ele acaba se suicidando, inoculando o aguilhão nele mesmo?

O escorpião, em posição de ataque, não consegue encostar o aguilhão no seu corpo e, mesmo que conseguisse, ele seria imune ao seu veneno.  Neste caso, o escorpião acaba morrendo dessecado, desidratado pela ação do calor.

Feridas no canto da boca são resultados do xixi de aranha?

Feridas no canto da boca são resultados do xixi de aranha?

É comum aparecer “bolinhas” no canto da boca, geralmente, pela manhã e, as pessoas acharem que isto é resultado de xixi de aranha. Na verdade, estas “bolinhas” são herpes labial, uma virose bastante comum, que ocorre em pessoas debilitadas por stress ou baixa imunidade.

1 2 3 4 5 6 7 8

Centro de Informação Toxicológica

Rio Grande do Sul

Brasil - RS - Porto Alegre - CEP 90610-000

Av. Ipiranga, 5400 - Jardim Botânico

Telefone: (51) 2139-9200 - Fax: (51) 2139-9201

O CIT/RS é afiliado a Associação Brasileira de Centros de Informação e Assistência Toxicológica e Toxicologistas Clínicos - ABRACIT

Organização do Site:

Débora Daenecke e Alberto Nicolella